Loading...

domingo, 26 de abril de 2015

ATX-BA: INFORMANDO - METADE DAS PESSOAS QUE VIVEM COM HEPATITE SOFRE DISCRIMINAÇÃO.


 
Pautas | SPMJ | 24/04/2015 18:19:07 | 139 Acessos
              Pesquisa de ong brasileira,
 Grupo Otimismo, indica 
que cerca da metade das pessoas que 
vivem com hepatite sofre discriminação

• Pesquisa “Estigma e Discriminação nas Hepatites Virais, coordenada e executada pelo grupo brasileiro Otimismo, foi uma das escolhidas para  coletiva de imprensa oficial do Congresso Internacional de Doenças do  Fígado, em Viena, Áustria.

• Este é um dos primeiros estudos a dar voz ao paciente de hepatites virais, desenvolvido com o objetivo identificar como e com qual intensidade o estigma e preconceito afetam a sua qualidade de vida.

• Cerca de 10% dos pesquisados que informaram sua condição aos seus empregadores perderam o emprego

Cerca da metade das pessoas infectadas com hepatite viral sofre algum tipo de discriminação, em decorrência da doença, e cerca de ¼ admite que seus familiares passaram a evitar contato pessoal depois de saberem do diagnóstico. Esta é uma das conclusões da pesquisa “Estigma e Discriminação nas Hepatites Virais”, conduzida pela ONG brasileira Grupo Otimismo e apresentada em conferência de imprensa  do Congresso Internacional de Doenças do Fígado 2015, que se encerram em Viena, Áustria, neste 26 de abril. A pesquisa ouviu 1.227 pacientes com Hepatite B ou C de países da Europa e Américas, de língua espanhola e portuguesa, que voluntária  e confidencialmente, responderam um questionário com 12 itens. A pesquisa  contou com a colaboração da AbbVie.

“A hepatite viral é uma epidemia silenciosa, não só porque se desenvolve ao longo dos anos sem apresentar sintomas, mas também porque silencia os pacientes diagnosticados com a doença. Com medo do estigma e da discriminação, os pacientes não falam sobre sua condição. Somente com uma ampla campanha mundial, será possível diminuir o estigma e colaborar para o aumento do diagnóstico e, consequentemente, levar o paciente para o tratamento adequado”, afirma Carlos Varaldo, presidente do Grupo Otimismo e idealizador da pesquisa, e responsável  pela apresentação das conclusões da pesquisa durante o Congresso Internacional  de Doenças do Fígado.

O objetivo da pesquisa foi descobrir, a partir dos próprios pacientes, quando e com qual intensidade o estigma e a discriminação afetam a sua qualidade de vida. “É necessário quebrar e desmitificar o conceito popular pelo qual se acredita que as hepatites B e C são doenças de populações marginalizadas. A hepatite não tem grupo de risco estereotipado; pode infectar qualquer um, a partir do contato com sangue infectado”, completa Carlos Varaldo.

Discriminação nos Consultórios

 - Ainda segundo a pesquisa, parte dos profissionais de saúde também colabora para o estigma dos pacientes: apesar da pesquisa indicar que 70% dos profissionais de saúde prestam atendimento adequado, 24,6% mantêm uma certa distância do paciente e 6,9% negaram atendimento a pessoas diagnosticadas com hepatite.

Principais Resultados da Pesquisa

• 49,6% dos infectados sofreram algum tipo de discriminação. Dos 94,1% que informaram a família sobre sua condição, cerca de ¼ (24,5%) afirmou que os  parentes passaram a evitar contato físico. Além disso, dos 73,7% que contaram  para amigos sobre sua condição, 46,9% afirmaram que sofreram algum tipo de discriminação e 23,% afirmaram que não foram mais convidados para eventos 
sociais. 

• 33,3% dos 57,4% que informaram seus parceiros sobre a doença afirmaram que o relacionamento foi negativamente impactado e 42,7% afirmaram que tiveram  impacto negativo também em sua vida sexual.

• No ambiente de trabalho, dos 46,1% que contaram aos colegas, 10,1% perderam o emprego e a autoestima foi afetada em 55,8% dos casos e 41,4% afirmaram sentirem vergonha da condição.

Grupo Otimismo - O Grupo Otimismo de Apoio ao Portador de Hepatite é organização não governamental, sem fins lucrativos, criada em 1999, com o objetivo de facilitar a troca de informações e estimular maior discussão do tema  nos países de língua portuguesa e espanhola. Reúne 32.000 pacientes, seus familiares e apoiadores.

Para mais informações, acesse www.hepato.com

Sobre a AbbVie - A AbbVie é uma empresa biofarmacêutica global, com foco em pesquisa, criada em 2013, a partir de sua separação da Abbott. A missão da companhia é usar sua experiência, seus talentos e abordagem única para inovação  no desenvolvimento e comercialização de terapias avançadas para algumas das doenças mais graves e complexas do mundo. A AbbVie possui cerca de 26.000 colaboradores em todo o mundo e comercializa seus medicamentos em mais de 170 países. Para mais informações sobre a AbbVie, sua equipe, portfólio e compromissos, acesse www.abbvie.com. 

Siga @abbvie no Twitter ou conheça as oportunidades de carreira em nossas páginas no Facebook ou LinkedIn. No Brasil, a AbbVie iniciou formalmente suas operações no início de 2014. Para mais informações, acesse www.abbvie.com.br