Loading...

sábado, 28 de março de 2015

ATX-BA - Continua faltando ciclosporina para pacientes transplantados da Bahia.

por Juliana Almirante no dia 26 de Mar de 2015 às 15:00 em Bahia

Atraso no fornecimento de remédio para transplantados deixa pacientes com medo

Atraso no fornecimento de remédio para transplantados deixa pacientes com medo
Foto: Reprodução/Google Street View
Pacientes de Salvador que já realizaram transplantes sofrem, há mais de dois meses, com a falta de um dos medicamentos indicados para diminuir a rejeição aos órgãos, a ciclosporina. O remédio é imunossupressor - reduz a possibilidade de o organismo da pessoa recusar o órgão transplantado. O fornecimento da medicação, disponível em diferentes dosagens, deve ser feito pelo governo estadual. A Associação de Pacientes Transplantados da Bahia (ATX-BA) recebeu muitas reclamações de quem não pode custear o medicamento, que pode levar ao gasto mensal de até R$ 1.800. 

A presidente da ATX-BA, Márcia Chaves, informa que a ciclosporina começou a faltar no dia 17 de janeiro deste ano, depois de ter sido observada carência também em setembro do ano passado. "Entramos com uma ação civil no [Ministério Público da Bahia]. O promotor entrou com uma ação contra o Estado, obrigando a fornecer o remédio, porque a falta do medicamento vai levar à morte do paciente", explica. 

O promotor do Grupo de Atuação Especial em Defesa da Saúde (Gesau) do Ministério Público da Bahia, Luciano Taques, acompanha o caso. "Solicitamos ao Estado informações e verificamos, de acordo com a resposta da Secretaria Estadual de Saúde, e, sob a ótica do Ministério Público, que não estava havendo o fornecimento aos pacientes que necessitam desse medicamento", afirma. O promotor informou que o Gesau entrou com uma ação, tendo em vista que o fornecimento da medicação é urgente e deve ser feito de maneira ininterrupta, sob pena de graves riscos à vida dos pacientes transplantados. "[A ação] foi ajuizada no dia 17 de março e estamos aguardando o juiz se manifestar", informa. 

Estado garante regularização 
 O paciente João Marcos Barreto fez transplante de rim há dois anos e recebia o medicamento no Hospital Ana Nery. "Estou há dois meses sem remédio. Liguei para lá e estão sem previsão de chegar. Eles falam que é o governo que manda. E aí, o transplantado é que sobra", reclama. 

O coordenador de Planejamento da Secretaria de Saúde (Sesab), Lucas Andrade, diz que o estado já buscou regularizar a situação. "A gente mudou a sistemática do planejamento para que não aconteça novamente. Para manter um estoque regulador", defendeu. Ele informa que, no final do ano passado, houve aumento da demanda do remédio e o governo precisou captar recursos para comprá-lo.

FONTE:http://www.metro1.com.br/atraso-no-fornecimento-de-remedio-para-transplantados-deixa-pacientes-com-medo-2-60638,noticia.html

sexta-feira, 27 de março de 2015

ATX-BA - UTILIDADE PUBLICA: FINALMENTE A ANVISA LIBERA O SOFOSBUVIR

sexta-feira, 27 de março de 201515:24 \ Brasil Tratamento mais rápido
 Anvisa: autorização para remédio
A Anvisa liberou a comercialização de remédios com a substância Sofosbuvir, que pode mudar radicalmente as chances de cura da hepatite C.Sob o nome comercial de Sovaldi, o remédio, segundo alguns estudos, diminui o tempo de tratamento de 48 para 12 semanas e atenua efeitos colaterais.A decisão sai no Diário Oficial na semana que vem.
Por Lauro JardimTags: Anvisa, Hepatite C, Sofosbuvir http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/brasil/anvisa-libera-veda-do-sofosbuvir-para-hepatite-c/

quinta-feira, 19 de março de 2015

ATX-BA - CONTINUA FALTANDO CICLOSPORINA 0.25 PARA TRANSPLANTADOS DA BAHIA.


BALANÇO GERAL /BAHIA - 18/03/2015
Falta de medicação para transplantados da Bahia
Pacientes reclamam da falta de medicação para transplantados.





Pacientes reclamam da falta de medicação para transplantados.


Fonte: http://videos.r7.com/falta-de-medicacao-para-transplantados-da-bahia/idmedia/550954860cf20eea0d0e80a7-1.html

sexta-feira, 13 de março de 2015

O dia mundial do rim foi ontem, mas a campanha é durante a vida toda. Se ligue! Bom fim de semana para nós.


Ricardo Chaves incentivando a Campanha Rins Saudáveis - Dia Mundial do Rim.

quinta-feira, 12 de março de 2015

ATX-BA - DIA MUNDIAL DO RIM

Dia Mundial do Rim - dia 12 março de 2015.
                                          Elevador Lacerda será iluminado durante a campanha

O tema desde ano será "RINS SAUDÁVEIS" com o slogan "CAMPANHA PARA RINS SAUDÁVEIS". Participe! As cores da campanha deste ano serão Vermelha e Azul. 









Fatos e dados
• Mais de 100 mil pessoas fazem diálise no Brasil. 

• Existem 750 unidades de diálise cadastradas no Brasil. Somente na cidade de São Paulo, são 35 unidades. 

• Depois dos 40 anos, o indivíduo perde em média 1% ao ano da função renal 

• 84% dos pacientes têm o tratamento pago pelo Sistema Único de Saúde 

• 16% dos pacientes têm o tratamento pago pelo Sistema de Saúde Suplementar 

• Incidência das DRC é maior em pessoas de mais idade 

• 31% dos pacientes estão com mais de 65 anos. 

• 58% dos pacientes são homens. 

• Hipertensão (35%), diabetes (30%) e glomerulopatias (12%) são as principais causas das DRC em adultos. 

• 10% da população mundial têm Doença Renal Crônica (DRC) 

• DRC afeta pessoas de todas as idades e raças 

• Um a cada cinco homens e uma a cada quatro mulheres com idades entre 65 e 74 anos têm DRC 

• Metade da população mundial acima de 75 anos tem DRC 

• Terapia Renal Substitutiva (TRS) é um tratamento indicado para casos nos quais o rim não efetua mais o papel vital de "filtro do organismo" 

• Três formas de TRS são: Hemodiálise, Diálise peritoneal e Transplante renal. 

• 70% dos pacientes em diálise descobrem a doença renal tardiamente 

• 15% é a taxa de mortalidade de pacientes em diálise 

• 1 em cada 6 hipertensos terá doença renal 

• Para cada 1 paciente em diálise há entre 20 e 25 pessoas com algum grau de DRC ainda sem sintomas 

• Estima-se que há cerca de 1,2 milhão a 1,5 milhão de brasileiros com doença renal crônica

• Em média, cada sessão individual de diálise consome algo entre 300 e 400 litros por paciente. 

• Em média, cada paciente realiza três sessões de diálise por semana. 

• O tempo de cada sessão e a frequência é definida com o nefrologista e varia de caso a caso. 

 Fonte: Censo SBN, ABCDT, Ministério da Saúde, IFKF 
 Links úteis : www.sbn.org.br


FONTE: http://www.sbn.org.br/dia-mundial-do-rim-2015